SANTA HELENA

Versão 04 - MT

 

1-Estando eu bordando

Em minha almofada,

Com o dedal de ouro

E a agulha de prata.

Com o dedal de ouro

E a agulha de prata.

 

2-Passou um cavalheiro

E me pediu pousada,

Se meu pai lha desse

Eu também lha dava.

Se meu pai lha desse

Eu também lha dava.

 

3-Na porta estão batendo

Helena vai ver quem é.

Se for um ceguinho

Dá-lhe pão e vinho

Se for um ceguinho

Dá-lhe pão e vinho

 

4-Não quero seu pão,

Nem quero seu vinho,

Quero sua filha,

Pra ensinar-me o caminho.

Quero sua filha,

Pra ensinar-me o caminho.

 

5-Levanta-te Helena,

Do roque e do linho,

Vai com este cego

Abrir-lhe o caminho.

Vai com este cego

Abrir-lhe o caminho.

 

6-Adeus minha casa,

Coberta de prata,

Adeus minha mãe,

Que foste ingrata.

Adeus minha mãe,

Que foste ingrata.

 

7-Ao fim das sete léguas

O cavalheiro lhe perguntou,

Tu em tua casa,

Como te chamavas.

Tu em tua casa,

Como te chamavas.

 

8-Eu na minha casa,

Helena bem tratada,

Agora por aqui,

Triste desgraçada.

Agora por aqui,

Triste desgraçada.

9-Siga, menina siga,

Siga o meu caminho,

Se eu fosse cego

Pra que a queria.

Se eu fosse cego

Pra que a queria.

 

10-Pegou numa faca

E a degolou,

Cobriu-a de folhas

E ali a deixou.

Cobriu-a de folhas

E ali a deixou.

 

11-Ao fim de sete anos,

O cavalheiro ali passou

E avistando uma santa

Às pastoras perguntou.

E avistando uma santa

Às pastoras perguntou.

 

12-Pastorinhas belas

Que guardais o gado,

Que santa é aquela

Que está naquele adro.

Que santa é aquela

Que está naquele adro.

 

13-Aquela é Santa Helena

Que um traidor matou,

Cobriu-a de folhas

E ali a deixou.

Cobriu-a de folhas

E ali a deixou.

 

14-Minha Santa Helena,

Meu amor primeiro,

Perdoa-me a morte,

Serena o teu romeiro.

Perdoa-me a morte,

Serena o teu romeiro.

 

15-Não perdôo não

Ladrão carniceiro,

Tu me degolaste

Tal qual um cordeiro.

Tu me degolaste

Tal qual um cordeiro.