PEREGRINA

 

1-Peregrina, a peregrina

Andava a peregrinar,

Em busca de um cavaleiro

Que lhe fugiu mal pesar.

 

2-A um castelo torreado

Pela tarde foi parar,

Sinais certos que trazia,

Do castelo foi achar.

 

3-Mora aqui um cavaleiro?

Aqui deve morar,

Respondera-lhe uma dona

Discreta no seu falar.

 

4-O cavaleiro está fora,

Mas deve de tardar,

Se tem pressa a peregrina,

Já o mandarei chamar.

 

5-Palavras não eram ditas,

O cavaleiro a chegar,

Que fazeis por aqui, senhora,

Quem vos trouxe a este lugar?

 

6-O amor de um cavaleiro

Por aqui me fez andar,

Prometeu de voltar cedo

Nunca mais o vi voltar.

 

7-Deixei meu pai, minha casa,

Corri por terra e por mar,

Em busca do cavaleiro

Sem nunca o poder achar.

 

8-Negro destino da senhora

Que tarde vos fez chegar,

Eu do vosso pai fugia

Que me queria matar.

 

9-Corri terras, passei mares,

A este castelo vim dar,

Corri terras, passei mares,

A este castelo vim dar,

 

10-Antes que fosse ano e dia

Vós me fizestes jurar,

Com outra dona ou donzela

Não me havia desposar.

 

11-Ano e dia eram passados

Sem de vós ouvir falar,

Com a dona desse castelo

Eu ontem me fui casar.

 

12-Palavras não eram ditas,

A peregrina a expirar,

Palavras não eram ditas,

A peregrina a expirar.

 

13-Ai penas de minha vida,

Ai vida do meu penar,

Que farei desta lindeza

Que em meus braços vem finar.

 

14-Do alto de sua torre

A dama estava a raivar,

Leve-a daí cavaleiro,

E que a deitem no mar.

 

15-Tal não farei eu, senhora,

Que ela é de sangue real,

E amou com tanto extremo,

A quem lhe foi desleal.