NAU CATARINETA  

 

1-Lá vem a nau Catarineta,

Que tem muito o que contar,

Ouvide, agora, senhores,

Uma estória de pasmar.

 

2-Fazia ano e dia

Que andava em volta do mar,

Já não tinha o que beber

Já não tinha o que manjar.

 

3-Puseram solas de molho

Pra noutro dia jantar,

Mas a sola era tão rija

Que não puderam tragar.

 

4-Puseram sorte à ventura

A quem haviam de matar,

Logo foi cair a sorte

No Capitão-General.

 

5-Acima, acima, Gajeiro,

Acima o topo real,

Vê se vês terras de Espanha

Ou praias de Portugal.

 

6-Não vejo terras de Espanha

Nem praias de Portugal,

Vejo sete espadas nuas

Que estão pra te matar.

 

7-Acima, acima Gajeiro

Acima o tope real,

Vê se vês terras de Espanha

Ou praias de Portugal.

 

8-Já vejo terras de Espanha

E praias de Portugal,

Vejo também três meninas

Debaixo do laranjal.

 

9-Uma sentada a coser,

Outra na roca a fiar,

A mais formosa de todas

Está no meio a chorar.

 

10-São todas três minhas filhas,

Ó quem me dera abraçar,

A mais formosa de todas

Contigo há de casar.

 

11-Não quero a vossa filha,

Que vos custou a criar,

-Dar-te-ei meu cavalo branco,

Que não há outro igual.

 

12-Não quero o vosso cavalo,

Que vos custou a educar.

-Dar-te-ei tanto dinheiro

Que nem tu possas contar.

 

13-Não quero o vosso dinheiro,

Que vos custou a ganhar.

-Que queres tu, meu Gajeiro,

Que queres tu general?

 

14-Capitão quero tua alma,

Para comigo levar.

-Renego a ti, demônio,

Que me estavas a tentar.

 

15-Minha alma é só de Deus,

O corpo eu dou ao mar,

Minha alma é só de Deus,

O corpo eu dou ao mar.

 

16-Deu um estouro o demônio

No inferno foi parar,

E a nau Catarineta

Anda em terras a vagar.