Modinhas do Brasil Antigo

 

A hora em te não vejo       
Cândido Ignácio da Silva

A saudosa de amor    
J. Cirillo Moniz

A simpatia    
Anônimo

Acaso são estes...   
Tomaz Antonio Gonzaga

Adeus que eu parto a sumir-me   
Anônimo

Adorei um'alma impura    
Gabriel Fernandes da Trindade

Basta amor meu terno peito    
J. R. Coelho

Batendo a linda plumagem    
Gabriel Fernandes da Trindade

Busco a campina serena...   
Cândido Ignácio da Silva

Cada ser fala seu modo   
Francisco Antonio de Carvalho

Como o favônio que passa   
Francisco Antonio de Carvalho

Corações que amor uniu    
Gabriel Fernandes da Trindade

Cruel saudade consumidora   
Cândido Ignácio da Silva

Cupido tirando dos ombros a aljava   
Lino Joze Nunes

De meus ais! De meus suspiros!   
J. R. Coelho

Dei um ai, dei um suspiro...   
J.M. de Souza Barros

Deixa, dália, flor mimosa...   
Anônimo

Desprezou-me Natercia   
J. R. Coelho

Do regaço da amizade   
Gabriel Fernandes da Trindade

Duma pastora os olhos belos   
Candido Ignacio da Silva

Erva mimosa do campo   
Gabriel Fernandes da Trindade

És mimosa simpatia   
A. da S. Araujo

Escuta, formosa Márcia   
Anônimo

Estrela do Lavradio   
J. V. Ribas

Eu adoro a uma ingrata   
Belarmino Manoel da Silva

Eu amo as flores   
M.A. de Souza Queiroz

Eu tenho no peito...   
Padre Telles

Eu quero me casar!...   
Francisco Antonio de Carvalho

Fenece doce esperança   
Rafael C.

Foi bastante ver teus olhos   
Gabriel Fernandes da Trindade

Foi por mim foi pela sorte...   
Anônimo

Hei-de amar-te até morrer!   
Anônimo

Impere dentro em meu peito   
Candido Ignacio da Silva

Já não existe a minha amante   
Gabriel Fernandes da Trindade

Justos Céus morro d'amores   
Manoel Emigdio Pereira Baião

Longe da esposa que adoro tanto   
A. C. de Lima

Marilia de Dirceu      - Ária 01          
Thomaz Antonio Gonzaga   - Ária 02      
                                  - Ária 03     
                                   - Ária 04   
                                   - Ária 05   
                                   - Ária 06   
                                   - Ária 07   
                                    - Ária 08   
                                   - Ária 09   
                                   - Ária 10   
                                   - Ária 11    
                                    - Ária 12   

 Marilia eu vivo por ti   
Thomaz Antonio Gonzaga

Marilia meu doce bem   
Anônimo

Marilia teus olhos tão tristes   
José Martins de Sta. Roza

Meu coração vivia isento...   
Gabriel Fernandes da Trindade

Meu destino é imudável   
Gabriel Fernandes da Trindade

Minha Marilia não vive   
Cândido Ignácio da Silva

Minha Tireia é tão bela   
Izidoro Bevilaqua

Não tentes mais procurar-me   
Anônimo

No momento em que nasci   
Gabriel Fernandes da Trindade

Novos ares, novos climas   
M.A. de Souza Queiroz

O Coração Perdido  
F. L. G. de Varnhagen

Ocália, dize porque quebraste   
Gabriel Fernandes da Trindade

Ondas batei vagarosas   
Gabriel Fernandes da Trindade

Por mais que busco encobrir   
Gabriel Fernandes da Trindade

Por que ó morte cruel   
Gabriel Fernandes da Trindade

Quando a triste Armia bela   
Francisco Antonio de Carvalho

Quando as glórias que gozei...   
Cândido Ignácio da Silva

Quando não posso avistar-te   
Gabriel Fernandes da Trindade

Quantas vezes eu procuro...   
S. P. Lôbo

Quem socorre um desgraçado   
M. Pimenta Chaves

Que noites eu passo...   
A.J.S. Monteiro

Remorsos, penas, tormentos   
Gabriel Fernandes da Trindade

Roseas flores d'alvorada...   
Anônimo

Se o pranto apreciares...   
Gabriel Fernandes da Trindade

Se Jove não quer que eu ame   
Thomaz Antonio Gonzaga

Si te adoro...   
Cândido Ignácio da Silva

Só a idéia da partida   
J. D. Soares

Ta, te, ti, to, tu   
Anônimo

Tive amor, fui desditoso   
Gabriel Fernandes da Trindade

Ultimo adeus de amor   
Emílio E.C. do Lago

Um ai gerado...   
Gabriel Fernandes da Trindade

Um só tormento d'amor   
Candido Ignacio da Silva

Vai terno suspiro meu   
Gabriel Fernandes da Trindade

Vem a meus braços   
Anônimo

Vem cá, minha companheira...   
Anônimo

Vem dar prazer, Marilia amante   
Thomaz Antonio Gonzaga

Vive amor dentro em meu peito   
J. R. Coelho

20 Modinhas de Joaquim Manoel da Câmara: 

01 - Nunca 

02 - Se queres saber 

03 - Nestes bosques 

04 - Marfiza 

05 - Brando Zefiro 

06 - Quando te beijo 

07 - Foi o momento 

08 - Se padeço 

09 - Desde o dia 

10 - Triste coisa 

11 - Oh, inquieta pombinha 

12 - Ouvi montes 

13 - Vem cá minha companheira 

14 - Se me desses um suspiro 

15 - Triste salgueiro 

16 - Roxa saudade 

17 - Estas lágrimas 

18 - Teus encantos 

19 - Oh! Minhas ternas saudades 

20 - Por que me dizes chorando