O CONDE

Versão 02 - SP  

 

1-O sol quando dá enclina

Dá no palácio da rainha,

Já o conde da Alemanha

Com a rainha dormia.

 

2-Se o sabes, minha filha,

Bem o podes encobrir,

O conde é rapaz moço

De ouro pode te vestir.

 

3-Não quero vestidos d’ouro,

Que os tenho de damasco,

Inda tenho meu pai vivo,

Já me querem dar padrasto.

 

4-As mangas deste vestido

Eu não a chego a romper,

Chegando meu pai de fora,

Se eu não lhe for dizer.

 

5-Venha, venha, ó meu pai,

Deus o traga em boa paz,

Quero contar-te um conto

E um conto quero lhe contar.

 

6-Estando eu no meu tear,

tecendo seda amarela,

Vindo o conde da Alemanha,

Três fios me tirou dela.

 

7-Cala-te lá, minha filha,

Manda-me por o jantar,

O conde é rapaz moço,

Isso fê-lo por brincar.

 

8-Mal o haja os tais brincos

E de quem eles gostar,

Ele pegou-me por um braço

À cama quis me levar.

 

9-Cala-te lá, minha filha,

Manda-me por o jantar

Amanhã por estas horas,

O conde vai a degolar.

 

10-Maldição te bote filha

Pelo leite que mamaste,

A morte que leva o conde,

Foste tu que a causaste.

 

11-Cala-te lá, minha mãe,

Enquanto não me ouve na rua,

A morte que leva o conde,

Deveria ser a tua.